segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Projeto: Metamorfose dos anfíbios

Coletamos informações, por meio de observação direta, experimentação, desenhos e textos infomativos; e relatamos a experiência vivida como um diário, fazendo as colocações pertinentes.

Etapas: Coleta de anfíbios no riozinho, por um aluno voluntário e sua mãe; Observação das etapas de transformação desses animais, dia-a-dia, relatando suas expectativas e averiguações num fichário, ilustrando-os.

Produto final: Reconhecer que alguns animais sofrem transformações ao longo da vida, dentre eles, os anfíbios. Construção de relatório com linguagem científica.

Fragmentos dos Relatórios

Data: 14/09/2010 Horário: 8:30h
Ontem o Matheus trouxe seis girinos bem grandes. Hoje, quando fomos olhar e medir, percebemos que estavam mortos. Concluímos que foi por causa do cloro da água da torneira. (Henrique – 5º Ano)\



Data: 15/09/2010 Horário: 8:30h
O aluno Fabrício do 3º Ano trouxe 16 girinos bem pequenininhos. Fomos observar e percebemos que estavam todos vivos. Junto com os girinos tinha uma baratinha d'água e um alevino. O maior girino media quase 1cm e o menor 0,5cm. O Matheus trouxe água de uma nascente, sem cloro. Colocamos o pote debaixo do orquidário. (Emanoele - 5º Ano)

video


Data: 17/09/2010 Horário: 8:00h
Observei que dois girinos já tinham perninhas, mas os outros catorze não tinham, também vi um grilo e a baratinha d'água. (Victória Alexandra - 5º Ano)

Dois girinos tinham perninhas e já dava para ver os dedinhos das patas traseiras deles e os outros nem dava para ver os pés. (Victória Amanda - 4º Ano)



Data: 20/09/201 Horário: 7:50h
Hoje vi onze girinos com perninhas traseiras. O pote estava cheio de sujeira e entrou muitos insetos e minhocas e até uma lesma do lado de fora. Acredito que mais alguns dias possamos ver os bracinhos. (Andréia - 4º Ano)

Data: 22/09/2010 Horário: 8:15h Não houve muita mudança nesses dias. Um girino já está crescendo os dedinhos. O alevino ainda está vivo. A baratinha desapareceu e parece que a água já tem pouco oxigênio. (Lucas - 5º Ano)



Data: 24/09/2010 Horário: 8:00h
Lá no fundo do pátio da escola, embaixo do orquidário, ficam os nossos girinos e hoje, quando fomos vê-los, tinha um camundongo morto lá dentro. A professora tirou com uma enxada e enrolou num jornal para descarte.Eu vi um girino bem grande. (Kelvyn - 4º Ano)

Data: 27/09/2010 Horário: 9:00h
Quando vimos os girinos concluímos que quase todos estavam mortos e havia apenas três vivos. Não sabemos se foi o camundongo ou a troca da água que os matou. Entendi que é por isso que as fêmeas produzem tantos ovos, porque poucos sobrevivem. Agora há uma segunda minhoca no pote. (Gustavo - 4º Ano)



Data: 30/09/2010 Horário: 10:50h
Hoje nós fomos observar os girinos, mas não deu para ver nada porque algumas crianças do Pré jogaram barro e pedras, então a água ficou turva. (Victor – 5º Ano)

Data: 05/10/2010 Horário: 08:20h
Quando chegamos no orquidário, notamos que o pote estava cheio de água e a professora jogou um pouco da água fora para então vermos os girinos. Tinha 2 girinos com as perninhas, sendo que um deles tinha ainda o rabinho bem comprido. O fundo do pote estava cheio de minhocas, o alevino ainda estava vivo e a baratinha e o grilo nunca mais vimos.Decidimos trocar o pote de lugar, agora está bem pertinho do muro, ao lado da nossa sala de aula. (Edna – 5º Ano)

Data: 13/10/2010 Horário: 08:20h Hoje a água estava muito turva, mesmo assim descobrimos que apenas um girino ainda está vivo. O Matheus vai trazer mais água da nascente para melhorar a observação da nossa pesquisa. (Letícia - 4º Ano)

Data: 18/10/2010 Horário: 08:00h
Quando fomos verificar o único girino sobrevivente, achamos que ele tinha virado um grande sapo. Só quando chegamos pertinho é que vimos que tinha pulado um sapo adulto no pote. Eu tirei o sapo, então notamos que nosso girino já tem dedinhos nas patas traseiras e dianteiras. (Matheus – 5º Ano)

Data: 20/10/2010 Horário: 08:15h
Vimos que o girino está virando sapo, mas parece que diminuiu em vez de crescer. O rabo quebrou e seus ossos estão fortes. (Shaimon – 5º Ano)

Quando fomos observar o nosso anfíbio por um momento pensamos que ele estava morto. O Gustavo mexeu na água com a régua e deu para ver que ele estava vivo, já com pernas, braços e os dedos nas mãos e nos pés. (Gabriel – 5º Ano)



Data: 22/10/2010 Horário: 08:15h Hoje quando fomos ver o anfíbio, ele tinha virado um sapinho com listras brancas e pretas, só que ele já tava morto. (Kelvyn – 4º Ano)

Observamos que o girino estava morto, mas não sabemos porque ele morreu. A professora Magalí pegou ele com a régua e o colocou em uma folha para medirmos seu tamanho. O alevino não está mais dentro do pote. (Emanoele – 5º Ano)

Hoje foi o final da nossa experiência, pois nosso girino infelizmente morreu. Com as pernas e os braços tinha 2 cm, já tinha virado sapo e não era grande, e sim uma perereca muito pequena. (Gabriel – 5º Ano)

Observamos que no pátio da escola apareceram centenas dessas pequenas pererecas, até nas salas de aula já foram encontradas, assim pudemos registrar um desses animais vivos, enquanto as crianças tentavam devolvê-la ao jardim. (Professsora Magalí Venturi Otto)










A mente que se abre a uma nova idéia jamais voltará ao seu tamanho original. Albert Einstein

Nenhum comentário: